top of page

Todo esse calor é normal?

A resposta é simples e já vem logo no início: não! Atualmente, a Europa vem passando por uma preocupante onda de calor, que já culminou em uma série de desastres naturais. Queimadas, tempo extremamente seco, chuvas e inundações são alguns dos efeitos resultantes das mudanças no clima. E o problema não se restringe somente aos impactos na natureza, visto que também afeta a esfera econômica, política e social, por já ter causado inúmeras mortes e o deslocamento de pessoas de seus lares.


Bombeiro combatendo incêndio em região florestal na Grécia (Crédito: Reuters)

Os termômetros de vários países do continente chegaram a ultrapassar os 40ºC. Dessa forma, o tema alerta ainda mais os pesquisadores e especialistas que discutem sobre as mudanças climáticas. Em entrevista ao portal Ecoa (UOL), o cientista do clima Alexandre Araújo Costa, professor da Universidade Estadual do Ceará (UECE) explica que essas ondas de calor não podem mais ser consideradas naturais, pois o aquecimento global as intensificou, trazendo cada vez mais riscos para o meio ambiente, e, como consequência, para a população mundial.


No Brasil não é diferente, pois, mesmo que o país esteja em pleno inverno, muitas cidades também estão tendo dias mais quentes. As temperaturas dos estados do Sul e Sudeste superaram a média histórica em julho. Municípios do Paraná e de Santa Catarina, por exemplo, registraram marcas acima dos 30ºC, algo atípico de se ver nessa época. Além do calor, as fortes chuvas que assolam o Nordeste também são associadas às implicações do aquecimento global.


Olinda (PE) vista de cima após fortes chuvas em maio (Crédito: Diogo Duarte/Anadolu Agency via Getty Images)

Segundo o último relatório divulgado pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês), os eventos relacionados ao clima já estão causando complicações generalizadas com o aquecimento atual de 1,1°C. O estudo realizado pelo Painel ainda aponta que a desigualdade e os desafios de desenvolvimento como a pobreza, governança ineficiente e acesso limitado a serviços básicos aumentam as chances de exposição aos riscos e dificultam a adaptação das comunidades às mudanças climáticas.


O cenário mundial é muito preocupante e as previsões para os próximos anos não são nada otimistas, tendo em vista que essas alterações caminham para um ponto de irreversibilidade da condição climática. As ações que forem tomadas após esse ponto não terão o efeito esperado, ampliando as possibilidades de ocorrer mais problemas ambientais, econômicos, políticos e sociais. Por isso a solução precisa vir com urgência para que não seja tarde demais.

 

Ajude quem vem sofrendo com as chuvas no Brasil:








22 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page